domingo, 28 de agosto de 2011

ERMITÉRIO DOS VIOLINOS

«Ermitério da Silva Amorim» tenho este jogador na memoria dum passado longínquo mas parece que foi a bem pouco tempo esta história conto com toda a fidedignidade foi passada no bufete a norte no campo Pepita na estreia deste jogador que tinha passado desportivo como poucos? jogador do Sporting C.P. -Beira Mar e veio para Trafa; para se curar de uma doença que por concelho medico!!! veio para as abas da raposeira que tinha fama de muito bom oxigénio.O local era o de critica da 1ª parte o vinho era do melhor do Jaime  Vitorino tendo o Cartola seu empregado como o melhor certificado de qualidade para alem do jogador Arnaldo que para alem de empregado da taberna com  publicidade escrita em frente da taberna; vende-se vinho por conta do lavrador.os adeptos do Trafaria lá iam discutindo quem estava a ser o melhor jogador?. quando o Ermitério com uma recepção com o peito e outra de imediato com o pé deixou os adeptos de boca aberta.?eu no meio deles oiço uma voz meio embargada dizer assim este homem ou é um grade jogador ou está com uma grande carraspana?.

«Safa a Roupa» um nome incontornável do desporto Trafariense.

 Não quero afirmar de fonte segura, mas julgo não errar se disser que «Safa» foi o jogador que mais épocas jogou no clube?...Por isto e não só eu afirmo que é sem duvida o jogador incontornável!...da terra!

Tenho uma história para contar passada no Estádio das Antas com o meu amigo Safa que é digna de ser contada!eu fiquei no banco e ao intervalo ficamos como era habito na época os jogadores fazerem uns cruzamentos na zona da área,pois com um cruzamento fiz um golo de bicicleta facto que chamou á atenção aos jogadores da selecção nacional Perez e Germano que me perguntou ao miúdo onde jogas e eu lhe respondi no Trafaria ,entretanto o jogo começou e chamaram-me para entrar para substituir o Safa  quando vou entrar ouço uma ovação estrondosa que me pôs pequeno como um rato!!! mas não era para mim, mas sim para a selecção de todos nós  que aparecia no túnel para o aquecimento atrás da baliza. Selecção esta que viria a ser 3º classificada no mundial de 66.Vou anexar umas fotos da deslocação ao Porto relacionadas com o jogo de que falo anteriormente.e também uma visita ao centro de ténis de Matosinhos em Leça da Palmeira.




Cima- lexivia,toupeira, Arnaldo,?Fajardo,dias,baixo-Nuno,safa, Américo , Agostinho Jorge.

Equipa do Trafaria na Madeira Safa o 1ºde baixo.
 Estádio das Antas 1966. Cima ?,Nuno,?,Dias?,?;?Braga,Baixo.Ratinho(Lima e Silva),Safa,Tolentino,Vítor,Lima (quinta da lomba,Agostinho,Luís.


O Safa é o 3º de cima ,Dias a seguir Nuno no extremo do mesmo lado Baixo 3º Agostinho 6º «Rato»,Lima

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

MARINHO O LISBOETA QUE SE FEZ TRAFARIANO

Estes jogadores são de cima a contar da direita.Safa, João, Nuno José Bernardes,Marinho,???baixo Carlos Manel,José Joaquim,Agostinho,Firmino,José Pequeno.
na foto de cima Marinho é o 2º a contar da direita na foto de baixo é o 3º a contar da esquerda .Na foto nº 3 marinho não se encontra esta foto esta na sua pagina pr motivo de ter entrado anexada a foto nº2
Festa de homenagem a Ratinho veteranos de Trafaria-Algés

                                                  Marinho no centro da vila da Trafaria 2009
                                                       Marinho ao fazer 89 anos com a família            

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

JOGADOR E BATERISTA.

                                                                                    
Rosa é o 1º do lado esquerdo em baixo. do lado oposto Porretes e Kikas em cima do lado esquerdo Porca, do lado oposto o seu amigo de desgraça na Arrentela o massagista Gomes.
Este jogador é um dos jogadores que tem tantas histórias para contar que dariam para escrever um livro, mas como é de futebol que me proponho a fazer história vou -me debruçar  só de futebol e de dançarino que as suas qualidades eram por mais que evidentes.
                                                  Rosa campeão no Monte de Caparica A.C.
Jogo na Madeira Rosa 4º cima.no Trafaria.
Equipa do União da Trafaria
Equipa do Monte Caparica 67/67

Rosa muito sorridente assistindo á moeda ao ar para escolha de bola ou campo
Rosa jogo particular na Equipa do Murfacem.


Festa de homenagem a( Ratinho) Lima.


Quero contar uma história passada no dia de tão pouca afortunada jornada na Arrentela ,depois de um grande jogo pelo Monte de Caparica no campo da Azinhaga na Arrentela, jogo este que teve como jogador mais influente ROSA!!! Uns tantos energúmeno de então lhe fizeram uma espera que quase o deixaram sem pinga de sangue. o final acabou no hospital do Dr Elvas com cabeça e dentes partidos mas o massagista também acabou no mesmo hospital com bastantes escoriações!!!
Cima-?,?.Hilário,?,?
 Baixo-Rosa ,Porretes,?Quicas,Zegre



Rosa  em baixo entre Aníbal e Batata


Agostinho (O cabecinha de ouro).

Agostinho o Cabecinha de Ouro.

Vou arrancar com o 2º ídolo do meu imaginário juvenil, pois foi dos jogadores que conheci e que melhor jogava de cabeça. Seu nome é Agostinho e pode-se dizer que passou ao lado de uma grande carreira.

Passar ao lado de uma grande carreira porque sua mãe sabendo que ele era o suporte económico não deixou,. depois de fazer um grande treino nas Salézias os directores do Belém foram a casa dele até um estalo levaram!!!

Equipa do Trafaria com Agostinho como uma das principais figuras:


Selecção de Setúbal de amadores 65/66 Jogadores do Trafaria que foram  Convocados Nuno,Dias,Safa,Agostinho,Ratinho chafariz do Carregado,deslocação ao Porto.



                                           Família mais próxima de Agostinho "cabecinha de ouro" 

Ídolo do meu Imaginário Juvenil João Cebola.


Equipa dos telefones

João Cebola
Jogo em Sesimbra 
anos 60
 Grande equipa dos Pescadores dos anos 60
 Grande equipa dos Pescadores dos anos 60 Vitoria sobre o Benfica.(3-2)
Nos meus tempos de juventude, um jogador dos Pescadores da Costa da Caparica marcou-me pela sua agressividade competitiva e pela forma como se entregava a cada lance que disputava. 
João Cebola um dos jogadores que mais valia quebrar que torcer fez mais de dez épocas ao serviço dos Pescadores. Nunca será com sentido pejorativo que se diz andar de carroça pois os jogadores passavam os dias a trabalhar alguns na faina do mar e depois davam o litro ao domingo, facto que hoje é raro ver!

Em tempos, foi escrito este artigo no Jornal Praia do Sol, de apelo aos jogadores para jogarem gratuitamente, onde João Cebola é dado como exemplo:
O jogador valente e combativo é hoje o mesmo valentão pois faz todos os dias no paradão  abaixo acima  as vezes com a ajuda de uma muleta!« força João cebola».

                                         Hoje com o seu amigo de sempre Salgado
Foto tirada num destes dias soalheiros de 2014